NOTÍCIAS DE CLEVELÂNDIA JANEIRO 2012

Conteúdo

jhaimyy@yahoo.com.br jhaimyy@hotmail.com

EDITORIAL:

Ola internautas leitores do Eko Bar on line, em primeiro lugar um FELIZ ANO NOVO A TODOS, e segundo lugar meu muito obrigado por acessarem e valorizarem esse blog com a honra que nos dão com a tua visita e os teus comentários, aqui em Clevelândia o ano começou exatamente igual o último dia do ano passado, sem nenhuma esperança, a grande esperança talvez, seja que por esse ser um ano político, as coisas podem começar a melhorar no ano que vem se mudar a administração atual. TODOS SABEMOS, E NÃO SE COMENTA OUTRA COISA NA CIDADE é o favoritismo do candidato do PSDB A SER O PRÓXIMO PREFEITO DE Clevelândia, é incrível mas de cada dez pessoas que conversa sobre o assunto, 11 falam que vão votar no candidato do PSDB, e se puderem ainda entram duas vezes na fila, devido ao fato do mesmo ter no seu lado o GOVERNADOR DO ESTADO E O PRESIDENTE DA ASSEMBLÉIA DO PARANÁ O DEPUTADO VALDIR ROSSONI QUE MUITO FEZ POR CLEVELÂNDIA NA ÉPOCA EM QUE A CIDADE ERA ADMINISTRADA PELO PSDB, E O DEPUTADO FEDERAL NELSON MEURER QUE PROPORCIONARAM GRANDES FEITOS POR CLEVELÂNDIA NAQUELA ÉPOCA. Por outro lado tem também nome novo querendo ser candidato a prefeito de Clevelândia, que é o Sr. Silvio Carvalho que disputará a convenção pelo PT contra o atual Prefeito de Clevelândia, uma boa alternativa para quem quer votar em um novo nome, caso esse venha a vencer a convenção, expectativas e conversinhas de bar, tudo começa a girar em cima do ano político, então, o que podemos perceber é que se tudo der certo, 2013 pode ser um bom ano para o Clevelandense, porém não há muitas ou quase nada de perspectivas para o ano 2012, mas porém é o último ano de um mando político onde tudo deu errado, e a cidade encontra-se completamente abandonada na esfera estadual e federal. O resto é feijão com arroz nada mais que isso. A TODOS UM ABRAÇO…. JAIME ANCINI

VALOR ABUSIVO DA TAXA DE LIXO IRRITA POPULAÇÃO DE CLEVELÂNDIA

E o valor da taxa de lixo que chegou ao conhecimento da população clevelandense causou grande polêmica e mal estar na população, na verdade inconformados buscaram no Eko uma forma de desabafar sua contrariedade, já que no ano que passou o Eko lutou incansavelmente contra esse projeto de Lei aprovados pelos vereadores EDSON MODENA(BAIXINHO DO RINCÃO), WILSON DUGLOSS (PITANGA), VEREADORA SUZI, (EX) VEREADOR MARCOS LOYOLA, ANDERSON BOCCHI (MANO BOCCHI), ESSES VEREADORES FORAM OS QUE SÃO FAVORÁVEIS A COBRANÇA DA TAXA DE LIXO E VENCERAM VOTANDO A FAVOR DO PROJETO DO EXECUTIVO TORNANDO ASSIM ESSA LEI A REALIDADE QUE É HOJE. Porém, esse valor está sendo repassado a uma empresa de fora para realizar a coleta de lixo, quer dizer, tem coisas que não dá para entender nos nossos representantes que se dizem representantes do povo de clevelandia.

DENÚNCIA

NOVO LOCAL PARA DEPÓSITO DE LIXO EM CLEVELÂNDIA (“O LIXÃO””) IRRITA MORADORES DO BAIRRO BOM JESUS) PRÓXIMO AO COLÉGIO BOM JESUS, ANTIGO ALEXANDRE BROTO.

Quando a Lei da taxa de lixo foi aprovada uma da alegações é que o lixo de Clevelândia ia ser responsabilidade de uma empresa de fora, que não haveria mais esse problema em Clevelândia, que o lixão, iria ser fechado, e acho que até foi, só que abriram novas instalações no Bairro Bom Jesus, muito próximo do centro da cidade, e vejam nas fotos abaixo, a principal empresa que deposita detritos lá é a Prefeitura Municipal de Clevelândia, nesses dias de sol, fica insuoportável o mal cheiro e famílias sofrem com isso, além de que também pessoas da cidade de vez em quando vão lá jogar um lixo, é brincadeira??? Não estou falando sério, as fotos estão logo abaixo em resumo, eu não estou entendendo mais nada, o que esse lixo está fazendo aqui??? Já que pagamos um absurdo para a prefeitura que contratou uma empresa de fora para realizar o procedimento??? E lá vem abaixo assinado, e vamos denunciar isso as autoridades competentes, nos aguardem…. puxa, porque nunca nada da certo em Clevelândia, nunca temos not´cias boas, como vinda de empresas, melhoras na saúde e na educação?? Porque sempre isso, o que fez o povo clevelandense para merecer tudo isso??? Pergunta que não quer calar vejam as imagens abaixo senhores e senhoras vereadores sque já foram informados pelos moradores daquela localidade sobre o fato, mas que segundo os moradores isso está ocorrendo desde o inicio do ano passado e ninguém tomou uma solução, então autoridades vamos reforçar, que atitude vão tomar agora em relação a esse “pequeno equívoco”???????????????????????

Caminhão da prefeitura deixando lixo no local, moradores dizem que isso acontece o dia inteiro todos os dias…..

Vejam aos fundo casas de moradores que com certeza pagam a taxa de lixo….

MAIS UMA FOTO DO CAMINHÃO DA PREFEITURA DEIXANDO O LIXO NO BAIRRO!!

É HUMILHANTE ISSO PARA AS PESSOAS DAQUELE BAIRRO, GENTE VAMOS POR A MÃO NA CONSCIENCIA, SÃO SERES HUMANOS CHEIO DE SONHOS E TRABALHADORES, PORQUE VOCÊS FAZEM ISSO, ONDE ESTÁ O RESPEITO PELO SER HUMANO? NÃO QUERO ACREDITAR QUE ESSE TIPO DE SITUAÇÃO ACONTECE EM CLEVELÂNDIA, QUANDO NA VERDADE ESSE BAIRRO DEVERIA ESTAR RECEBENDO BENEFÍCIOS COMO CALÇAMENTO, ASFALTO, DENTRE OUTROS, FAZEM ISSO…. POR FAVOR…..

NOTÍCIAS DE CLEVELÂNDIA

Incêndio atinge duas casas em Clevelândia

Por volta das 14h30min de terça-feira (17/01), um incêndio destruiu duas casas no bairro São Luís. Segundo informações o fogo começou na casa do Senhor Nelson, que estava na residência na hora do incêndio, as chamas logo atingiram a casa de trás do Senhor Leusir. O corpo de bombeiros foi acionado e controlaram o fogo impedindo que se espalhassem para as casas vizinhas. O telefone para quem deseja realizar doações é o 3252 12 86. Clique aqui para ouvir as entrevistas

Menor é apreendido pela PM de Clevelândia por conduzir veículo

Nesta quarta-feira (11/01), apenas uma ocorrência foi registrada pela PM de Clevelândia, o fato ocorreu na AV. Nossa Senhora da Luz, centro. Os policiais abordaram o veículo Fiat Estrada AUW- 7343, o qual era conduzido por um menor de 16 anos que não possuía carteira nacional da Habilitação ou permissão para dirigir. O veículo foi conduzido até o pátio do pelotão, e o condutor notificado.

Redação da Rádio Progresso com informações da Polícia Militar

Desacato a autoridade e violência doméstica marcam o final de semana em Clevelândia

Nesta sexta-feira (06/01), após denúncia anônima relatando que ao lado da Igreja Matriz havia um veiculo com o som em alto volume, e que estava perturbando o sossego publico. A PM se deslocou até o centro da cidade e onde o veiculo vw/saveiro de placas AEV-6093 de Catanduvas-SC, de propriedade de Paulo César da Silva, o qual constatou-se que o referido veiculo estava com o som em alto volume. Diante dos fatos o proprietário do veiculo juntamente com o som foram encaminhados a delegacia de polícia civil. Quando a equipe policial estava fazendo a apreensão do som, chegou um dos amigos do detido e começou a desacatar os policiais o qual foi identificado como sendo Anderson José Cardoso Fragoso, o qual também foi detido e conduzido para delegacia para as providências cabíveis.

No sábado (07/01), por volta das 23h30min a equipe de serviço estava realizando abordagem de trânsito, na Avenida Nossa Senhora da Luz, centro da cidade quando passou pelo local a pessoa de Antônio Altair Guedes, o qual proferiu insultos (palavras de baixo calão) contra a equipe. Diante dos fatos, Antônio resistiu a prisão, foi imobilizado pela equipe, detido e encaminhado a DP para as devidas providências.

Compareceu no pelotão da PM, uma senhora de 34 anos, acompanhada de sua filha de 18 anos, ambos relataram que a pessoa de Marcos Damasceno Silveira, ex amasio da vítima teria entrado no veiculo da mesma e de posse de um facão ameaçou-a de morte, inclusive tentou agredi – lá, ambas conseguiram se defender das agressões, sendo que Marcos fugiu logo em seguida tomando rumo ignorado, a equipe realizou buscas porem sem êxito. As vítimas foram orientadas sobre os procedimentos cabíveis ao fato.

Redação da Rádio Progresso com informações da Polícia Militar

Homem morre vítima de afogamento em Clevelândia

Em Clevelândia um afogamento foi registrado neste domingo (08/01) pelo Corpo de Bombeiros de Pato Branco. Por volta das 11h25 a equipe de busca e salvamento foi acionada e deslocou até a comunidade de Navegantes, interior do município, onde Claudemir de Castro, 31 anos, morreu afogado nas águas do Rio Chopim.

O fato ocorreu por volta das 11 horas. Segundo informações, a vítima estava em companhia de familiares em um recanto e teria deslocado até algumas cachoeiras em local proibido, onde caiu.

Bombeiros iniciaram as buscas ao meio dia realizando mergulhos, entretanto conseguiram localizar o corpo por volta das 15h30. O corpo foi encaminhado ao IML de Pato Branco.

Em Francisco Beltrão, Alberi de Souza Bueno, 40 anos, morreu vítima de afogamento também neste domingo (08/01).

A ocorrência foi registrada pelo Corpo de Bombeiros na comunidade de Linha São João, interior do município, por volta das 18 horas, quando a equipe de busca e salvamento foi acionada. O afogamento aconteceu em um poço com profundidade aproximada de 07 metros, próximo de uma cachoeira no local conhecido como Recanto do Dário.

Foram necessários alguns minutos de busca para encontrar o corpo, que foi encaminhado ao IML de Francisco Beltrão. O local onde houve o afogamento é proibido para banhistas, com placas que avisam do perigo. Segundo informações obtidas no local, a vítima teve um desentendimento com sua esposa e disse que iria se matar.

Em Capanema, no Rio Iguaçu, na comunidade de Linha Cristo Rei, o Corpo de Bombeiros realizou buscas para encontrar o corpo de Michel Roberto Dalba, 21 anos, vitima de afogamento no domingo (08/01), à tarde. Conforme as primeiras informações, o jovem estava nadando no rio quando o acidente aconteceu.

Portal RBJ

Moradores do Claret estão apreensivos com a demora da construção das casas do PAC2

Revoltadas com a demora para o início das construções das obras, cerca de 40 famílias estão ameaçando voltar as antigas casas. Os imóveis fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II). As obras previam a construção de 120 casas populares no bairro Claret, divididas em três etapas a serem concluídas até no final de 2012.

Segundo a administração municipal a demora está na assinatura do contrato com a Caixa Econômica, e com a construtora.

Clique aqui para ouvir a entrevista com os moradores

Festas de fim de ano elevam o número de passageiros no terminal rodoviário de Clevelândia

Com as festas de final de ano, as plataformas de embarque e desembarque do Terminal Rodoviário de Clevelândia estão lotadas. Por causa do aumento no fluxo de passageiros, seis carros extras foram disponibilizados para dar conta do movimento.

Segundo o fiscal do terminal, Deuvair Rodrigues, em apenas um dia desembarcou em Clevelândia 120 passageiros, um número significativo em relação aos dias comuns. São esperados certa de quatro mil pessoas nos feriados de natal e final de ano. Os destinos mais visados, de acordo com a administração da Rodoviária, é a capital do estado, Curitiba.

Deuvair Rodrigues orienta quem for viajar que não deixe para comprar as passagens de última hora. “É importante fazer uma reserva de até cinco dias antecipado, caso contrário fica sem passagem”, diz.

Rodrigues ainda orienta quem for viajar com crianças ou quem vai embarcar menores de idade sozinhos para viajar. De acordo com a lei, menores de 12 anos que for viajar com os pais precisam ter documentos em mãos, se forem acompanhados de algum adulto que não sejam os pais, é preciso ter uma autorização judicial, além dos documentos. clique aqui Para ouvir a entrevista com o fiscal rodoviário.Redação da Rádio Progresso

Desigualdade extrema separada por 10 km

Município de Clevelândia, com 17 mil habitantes, abriga o bairro mais pobre e o segundo mais rico do Paraná. Cada um dos 29 moradores do Vale do Sul vive com R$ 5.283, em média, enquanto em Nelson Eloy Petry a renda média é de R$ 193 mensais

Em uma ponta da cidade, um condomínio com nove residências luxuosas, sem muros, com jardins bem cuidados e segurança privada. A aproximadamente dez quilômetros dali, em outra extremidade do município, um conjunto de pelo menos cem casas modestas, distribuídas entre ruas sem asfalto e sem rede de esgoto. Esse cenário poderia fazer parte de uma metrópole, mas está em Clevelândia, na Região Sul do Paraná, que com apenas 17 mil habitantes abriga um dos maiores contrastes sociais do estado. Nela estão localizados o Vale do Sol, considerado o segundo bairro mais rico do Paraná, e o Nelson Eloy Petry, o mais pobre de todos.

São apenas duas ruas e uma história peculiar. O Vale do Sol nasceu no fim da década de 1970, como um condomínio destinado a abrigar os diretores da Óleos Vegetais do Paraná S/A (Olvepar), empresa que funcionava a poucos metros dali e que em 2000 teve sua falência decretada. Os funcionários da empresa foram aos poucos deixando o local, mas os novos moradores mantiveram tudo inalterado. Sem muros ou grades, as residências formam um conjunto separado discretamente da cidade – por um portão e uma guarita, onde um guardião faz vigília apenas à noite.

Hugo Harada/ Gazeta do Povo

Hugo Harada/ Gazeta do Povo / Tânia Jacobsen, no Vale do Sol: status de bairro nobre seria reflexo do reduzido número de moradores

Tânia Jacobsen, no Vale do Sol: status de bairro nobre seria reflexo do reduzido número de moradores

Coleção de polêmicas

A empresa que deu origem ao segundo bairro mais rico do Paraná possui uma história bastante controversa, que inclui não apenas a falência, mas também desdobramentos judiciais e denúncias de irregularidades. A Olvepar encerrou suas atividades em 2000, quando entrou em concordata e deixou grandes quantidades de milho e soja armazenadas em suas unidades, espalhadas pelas regiões Sul e Centro-Oeste do país.

Uma dessas unidades estava instalada em Cleve­lândia, onde iniciou as atividades em 1978. Para abrigar os diretores da empresa, foi construído o condomínio Vale do Sol. Após a falência, esses funcionários começaram a deixar o local, permitindo que as residências fossem adquiridas por valores abaixo do preço de mercado. Segundo a síndica do condomínio, Tânia Jacobsen, o último dos ex-diretores deixou o local há pelo menos dois anos. Apenas uma casa está desocupada atualmente.

A unidade de Clevelândia da Olvepar foi arrendada pela Santa Rosa, empresa produtora de óleo e farelo de soja, no início de 2010. Quando encerrou suas atividades, a Olvepar prejudicou centenas de produtores em diversos estados, que tiveram de recorrer à Justiça para receber os valores a que tinham direito.

A empresa também esteve envolvida em denúncias de irregularidades. Em 2002, quando estava em processo de falência, a Olvepar conseguiu a compensação de um crédito de ICMS junto à Copel, cujo pagamento havia sido negado pela Justiça e desaconselhado pela Re­­ceita Estadual. Originalmente o valor era de R$ 45 milhões, mas foi reduzido a R$ 39 milhões. O ex-governador Jaime Lerner, entre outros políticos, foi denunciado pelo Ministério Público Federal por participação no caso. O processo ainda corre na Justiça.

São apenas nove residências e 29 moradores, que garantem ao bairro um rendimento médio per capita de R$ 5.283, segundo o Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Renda inferior somente à verificada no bairro Bela Suíça, em Londrina, onde a média é de R$ 5.346 por habitante. Seus moradores reconhecem que têm um padrão de vida elevado, mas rechaçam o status que as estatísticas lhe conferem.

Para a síndica do condomínio, Tânia Jacobsen, a explicação para o segundo lugar no ranking dos bairros mais ricos do Paraná está no fato de contar com poucos moradores. “A maioria das casas tem apenas duas ou três pessoas morando. Como são famílias que têm um padrão financeiro um pouco mais elevado, a renda individual acaba ficando alta”, avalia a veterinária, que vive com o marido e um filho. De acordo com ela, o clima de tranquilidade e amizade entre seus moradores faz a diferença.

Precariedade

Após atravessar a cidade e percorrer uma via de calçamento, chega-se àquele que é apontado como o bairro mais pobre do Paraná. No Nelson Eloy Petry, o rendimento médio de seus cerca de 500 moradores é de R$ 193, pouco mais que um terço do salário mínimo. A situação é visível na precariedade do local: são vários barracos de madeira, com um ou dois cômodos, providos de energia elétrica e água encanada, mas sem rede de esgoto. Além disso, os relatos dos moradores apontam para um elevado índice de criminalidade na região.

Em uma dessas casas vive Isaías Ribeiro dos Santos, que divide a habitação com outras nove pessoas. O sustento vem dele e do sobrinho, os únicos que trabalham, e do benefício recebido pela esposa através do Bolsa Família. “Não é muita coisa que a gente ganha, sustentamos a casa do jeito que dá”, afirma Isaías. “Aqui é bom porque temos a nossa casa, mas está muito ruim de serviço.”

FONTE JORNAL GAZETA DO POVO LINK DESTA MATÉRIA:

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/retratosparana/conteudo.phtml?id=1204218

 

CARRO EM CLEVELÂNDIA PEGA FOGO ANDANDO

Foi ainda no ao passado, na noite de domingo para sábado populares informaram que o carro das fotos abaixo começou a pegar fogo andando, a cena foi meio que cinematográfica, pois o condutor do veículo quando percebeu que o mesmo estava pegando fogo abriu a porta e pulou do carro! Vejam as fotos o estado em que o carro ficou…

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s